Leilão da Cettrans chega o fim com todos os lotes arrematados

 Compartilhe no Twitter  Compartilhe no Facebook  Compartilhe no Google Buzz  Adicione aos favoritos no Google

 O 3º Leilão de Veículos e Sucatas da Cettrans (Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito) foi encerrado na tarde de ontem (31) com todos os lotes arrematados. Iniciado segunda-feira (30) no auditório da Prefeitura de Cascavel e realizado pelo leiloeiro Helcio Kronberg, o leilão teve lances válidos tanto presencial quanto online.

Segundo a Comissão de Leilão da Cettrans, durante os dois dias participaram presencialmente 398 pessoas. O total de vendas com os lotes de motocicletas chegou a R$ 231.800,00; já o lote de carros e o de sucatas totalizou R$ 236.600,00.

Os bens leiloados entraram para leilão na condição em que foram apreendidos, pelo valor da tabela Fipe, menos 40% e redução do valor de acordo com a depreciação. A compra foi à vista. 
São todos veículos recolhidos ao Pátio da Cettrans durante operações de trânsito, quando Agentes de Trânsito encontram irregularidades por inobservância aos preceitos estabelecidos no CTB (Código de Trânsito Brasileiro). Há casos em que os veículos possuem débitos exorbitantes, como multas geradas no trânsito e por não efetuarem o pagamento do IPVA. Por esse motivo os proprietários acabam abandonando seus veículos. Após 60 dias no Pátio e notificado os proprietários, os bens entram para a lista de leilão.

“Os veículos e sucatas arrematados permanecerão no Pátio da Cettrans até completarem um prazo de 30 a 60 dias até que os débitos existentes sejam todos desvinculados e o arrematante possa utilizar o bem regularizado”, explica o presidente da Cettrans, Alsir Pelissaro, sobre a situação dos lotes após a “compra”.

Destinação da arrecadação
A arrecadação da Cettrans com o leilão é distribuída conforme o Artigo 328, parágrafo 6º do CTB (Código de Trânsito Brasileiro), sendo para cobrir as despesas com o Leilão; depois para o pagamento de despesas com remoção e estadia dos veículos e em terceiro para cobrir débitos vinculados com IPVA e licenciamento. Em quarto lugar vem o pagamento de multas devidas ao órgão ou à entidade responsável pelo leilão (incluído pela Lei nº 13.160, de 2015) e em quinto lugar as demais multas devidas aos órgãos integrantes do Sistema Nacional de Trânsito, segundo a ordem cronológica (incluído pela Lei nº 13.160, de 2015), onde entra a arrecadação da Cettrans.

Ainda segundo a Comissão de Leilão, o próximo Leilão de Veículos e Sucatas da Cettrans será realizado no ano de 2018. Outras informações podem ser esclarecidas pelo número 3036-8041.

Data publicação:01.11.2017

Mais Notícias