ARTIGOS

Respeitar a sinalização de trânsito é princípio básico para manter a ordem e a segurança de motoristas e pedestres nas vias públicas. Porém, o significado de algumas sinalizações viárias são esquecidas e desrespeitadas pelos condutores, o que gera confusão e risco no trânsito. As marcas de canalização, por exemplo, estão presentes em todo o perímetro urbano de Cascavel e também em rodovias e mesmo assim sua função e importância são desconhecidas por muita gente. A pintura zebrada, como é popularmente conhecida, serve para orientar o fluxo de tráfego em uma via, direcionando a circulação de veículos e regulamentando as áreas de pavimento não utilizáveis. Quando a marca de canalização for branca, ela tem a função de direcionar os fluxos no mesmo sentido, além de dar proteção ao estacionamento. Quando a sinalização for amarela elas direcionam os fluxos de sentidos opostos. O Código de Trânsito Brasileiro prevê algumas punições para motoristas que trafegarem, estacionarem, ou pararem os veículos sobre esta sinalização. Parar o veículo sobre as marcas de canalização é considerado infração leve, com multa de R$ 53,20 e três pontos na carteira.  Já para quem estacionar  sobre a sinalização, a infração é grave com multa é de R$ 127,69 e cinco pontos na carteira. Para o veículo que trafegar nesta sinalização, a infração é gravíssima, com multa de R$574,62 e sete pontos na carteira. É necessário manter-se atento e atualizado quanto à sinalização, ela existe para orientar, organizar e informar a sociedade quanto às regras de trânsito, para que a segurança, a fluidez e a ordem sejam mantidas nas vias públicas. 
Data publicação: 04.09.2015
Data publicação: 31.08.2015
Passar horas no carro é algo comum hoje em dia. Mas essa rotina, além de desgastante, é prejudicial à saúde. Isso porque o formato do banco agride a região lombar e dos glúteos, gerando aquelas dores que sentimos enquanto estamos parados no trânsito. Você pode fazer alguns alongamentos dentro do carro para minimizar o problema. Para isso, basta empurrar o banco do motorista para trás, deixando as pernas estendidas, e relaxar enquanto espera que o tráfego diminua. Veja abaixo uma série de exercícios que o professor da Academia Reebok, de São Paulo, Felippe Notimatsu, montou para soltar a musculatura que tende a ficar encurtada enquanto está sentado. Para o trapézio e o pescoço Com a coluna reta, coloque as mãos atrás da cabeça, trazendo o queixo para perto do peito. Em seguida, ainda com a coluna ereta, puxe a cabeça com uma das mãos, tentando encostar a orelha no ombro, que deve estar relaxado. Faça o movimento para o outro lado. Para o antebraço Com a coluna encostada no banco, estique um dos braços com a palma da mão voltada para frente. Com a outra mão, puxe os dedos para baixo. Repita também do outro lado. Para o glúteo Puxe um dos pés para perto do corpo, fazendo com que o joelho fique apontado para fora. A outra perna deve ficar apoiada no chão. Depois repita o movimento para o outro lado. Para a lombar Comece tentando pegar as pontas dos pés com a coluna em formato de bolinha. Depois levante o tronco, ainda segurando as pontas dos pés, e estique a coluna. Em seguida, repita o movimento, mas com as mãos apoiadas na parte de trás do banco. Para finalizar, apoie as duas mãos em cima do volante e leve o tronco para frente.
Data publicação: 19.04.2013
No Brasil, em média, 60% dos acidentes de transito são causados por motoristas que apresentam cansaço ou sonolência. Segundo o Ministério da Saúde, 42.844 pessoas morrem todos os anos no país, em decorrência desse tipo de ocorrência. Isso confirma que, em situações de sono e fadiga, indivíduos têm funções, como concentração, atenção, agilidade mental e raciocínio, comprometidas. Ou seja, deixar travesseiros e lençóis para depois às vésperas de quilômetros de viagens prejudica significativamente as ações cerebrais, tornando o indivíduo mais lento e sujeito a causar e envolver-se em pequenos e até mesmo grandes acidentes. Segundo Andrea Bacelar, neurologista do departamento de Sono da Academia Brasileira de Neurologia, “durante as horas em que dormimos, nosso cérebro é capaz de se restaurar para o próximo dia que está por vir”. É nesse momento que o organismo produz hormônios essenciais para o bom funcionamento do corpo como um todo e, inclusive, deixa de ativar alertas para que alcancemos fases profundas do sono. Somente dessa maneira é possível que as estruturas estejam preparadas para proporcionar bem estar físico e mental ao acordar. O ideal é que, independente do horário que escolhemos nos deitar, aconteça de 7 a 8 horas de sono. Com corpo e mente descansada, recorrer a estimulantes externos como a cafeína e energéticos é dispensável. E não se engane! Eles não são sinônimos de resultados duradouros. “A cafeína, por exemplo, perde sua ação no organismo em pouco tempo e após esse período o sono volta com ainda mais força”, garante Andrea Bacelar.
Data publicação: 08.02.2013
 Vivemos a esperança de dias ainda melhores para todos os brasileiros no novo ano que se aproxima. Infelizmente, é nessa época de festas que acontece um impressionante aumento do fluxo de veículos em nossas ruas e estradas e uma acentuada presença de motoristas alcoolizados no trânsito. Para ajudar a diminuir o número de acidentes que mancham de tristeza as festas e a vida de milhares de famílias, convidamos todos a mudarem essa triste tradição do aumento de acidentes nos feriados de fim de ano. Lei Seca   Na quinta-feira (20), a presidente Dilma Rousseff sancionou sem vetos o projeto de lei que torna mais rígidas as regras para a Lei Seca e trouxe mudanças no Código Brasileiro de Trânsito (CBT).   A alteração no CBT possibilita que vídeos, relatos, testemunhas e outras provas sejam considerados válidos contra os motoristas embriagados. Além disso, aumenta a punição administrativa, de R$ 957,70 para R$ 1.915,40. Esse valor é dobrado caso o motorista seja reincidente em um ano.   O que muda no Código de Trânsito com a nova Lei Seca:   Art. 306 - Parte principal foi alterada: ANTES DEPOIS Conduzir veículo automotor, na via pública, estando com concentração de álcool por litro de sangue igual ou superior a 6 decigramas, ou sob a influência de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência Conduzir veículo automotor com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou de outra substância psicoativa que determine dependência Novas formas de comprovação: 1 - concentração igual ou acima de 6 dg/L de álcool no sangue ou de 0,3 mg/L no ar alveolar (medido por bafômetro) 2 - sinais que indiquem, segundo o Contran, alteração da capacidade psicomotora 3 - imagem, vídeo, testemunhas e outras provas lícitas Pena continua igual: detenção, de seis meses a 3 anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo Art. 165 - Pena administrativa: Infração gravíssima - 7 pontos na carteira ANTES DEPOIS Medida administrativa:retenção do veículo até a apresentação de condutor habilitado e recolhimento da habilitação Recolhimento da habilitação e retenção do veículo   Se houver reincidência em até 1 ano, a multa é o dobro    
Data publicação: 26.12.2012