Notícias

A Escolinha de Trânsito Pedrinho e Rafa está recebendo a visita dos alunos da Escola Ita Sampaio. Na sexta passada (15/04), foram atendidas duas turmas da pré-escola e durante esta semana, serão atendidas as turmas de 1º, 2º e 3º ano do Ensino Fundamental. O trabalho realizado na escolinha acontece em duas etapas: primeiramente as crianças assistem palestra que aborda questões fundamentais sobre trânsito, principalmente no que se refere ao comportamento seguro. Em seguida, os alunos participam de atividade prática na minicidade, onde vivenciam os papéis de pedestre e de condutor de veículo, de forma a dinamizar o aprendizado da primeira fase. Dentre as discussões, as crianças nos relatam suas experiências no trânsito, principalmente o envolvimento em acidentes e denunciam os comportamentos inadequados por parte dos pais. Uma das turmas revelou uma situação bastante séria: boa parte deles está sendo transportada no banco dianteiro dos veículos. “Isso é preocupante porque é uma situação que expõe a criança a riscos maiores do que se estivesse no banco traseiro. Além disso, o transporte de crianças menores de 10 anos de idade no banco dianteiro constitui infração de trânsito e, isto significa que os pais estão dando exemplos de desobediências às leis” relata a professora Luciane de Moura. O trabalho desenvolvido na Escolinha de Trânsito tem como enfoque o ser humano, e visa à compreensão de que a ação de cada indivíduo reflete na realidade social vivida na via pública. Quando alcançada essa compreensão, a criança se transforma em um agente multiplicador dos valores e conhecimentos recebidos, de forma a contribuir para que as demais pessoas de seu convívio passem a adotar condutas mais seguras e respeitosas na vias públicas. Para saber mais sobre este e outros projetos de Educação de Trânsito, entre em contato pelos telefones: 3036-8046 ou 3036-8114.
Data publicação: 19.04.2011
A Cettrans, realizou ontem (07/04), por ocasião das atividades alusivas ao Dia Mundial da Saúde, mais uma ação voltada para a segurança do pedestre. O trabalho foi realizado na Rua São Paulo, na esquina da Rua Castro Alves, onde a equipe de educadores da Cettrans e acadêmicos da Unipar (sombras), atuaram interpretando vários personagens que, de forma lúdica, transmitiam mensagens educativas de trânsito aos usuários da via pública. A atividade teve maior ênfase no exercício da comunicação entre os pedestres e condutores, onde os pedestres eram orientados a sinalizar com a mão, a intenção de atravessar a via e o condutor por sua vez, atentando-se para o gesto do pedestre e compreendendo sua intenção, parava, dando-lhe preferência de passagem para que este pudesse efetuar a travessia com segurança. Cabe esclarecer que o gesto do pedestre deve ser utilizado somente em locais em que existe a Faixa de Pedestres - exceto onde há sinalização semafórica. A equipe de Agentes de Trânsito sinalizou a via com cones e permaneceu no local durante a atividade, a fim de garantir maior segurança aos participantes e aos pedestres que passavam por ali. Vários condutores efetuaram a parada para a travessia do pedestre. Alguns poucos porque já estão conscientes da necessidade de respeitar o espaço do pedestre, outros simplesmente por estarem inibidos pela presença do Agente de Trânsito. Por outro lado, boa parte deles ainda age de forma imprudente colocando em risco a vida do pedestre. “Esta atividade terá continuidade e esperamos que com o tempo os condutores e pedestres passem a adotar uma conduta mais segura e respeitosa na via pública”, destaca Suzana do Amarante, chefe do Departamento de Educação de Trânsito. O principal objetivo do Projeto Pé na Faixa é a construção e o resgate de valores humanos, de forma a sedimentar uma cultura de RESPEITO nas relações no trânsito. Para saber mais sobre este e outros Projetos de Educação de Trânsito, entre em contato pelos telefones: 3036-8114 ou 3036-8046. Veja o vídeo explicativo sobre o Projeto e a sinalização manual clicando aqui.  
Data publicação: 08.04.2011
Em continuidade ao trabalho de Educação de Trânsito na Escola Municipal Florêncio C. de Araújo Neto, no bairro Guarujá, a equipe de educadores da Cettrans esteve na última quarta-feira (30/03) na escola para uma atividade direcionada aos pais dos alunos. O número de pais que compareceram foi bastante reduzido, mas apesar disso o trabalho não deixou de acontecer. O objetivo desta ação é conscientizar a comunidade escolar sobre a realidade vivida nas vias públicas no entorno da escola, onde o enfoque das discussões é a dimensão humana do trânsito. Segundo Suzana do Amarante, chefe do Departamento de Educação de Trânsito, “o principal fator causador da violência no trânsito é de ordem comportamental. De acordo com as estatísticas de trânsito, a imprudência e a negligência humana são responsáveis por 97,75% dos acidentes de trânsito. Os outros 2,25% apresentam como causa problemas na via ou problemas com o veículo”. Os alunos da EJA (educação de jovens e adultos) também participaram da atividade e assim como os pais, tiveram a oportunidade de esclarecer suas dúvidas, expor suas opiniões e relatar situações vivenciadas no trânsito. O Agente de Trânsito Bernardo, destacou que “a mudança comportamental acontecerá gradativamente, pois quando tratamos de atitudes humanas precisamos quebrar paradigmas. E isso requer abandonar velhos e inadequados hábitos e adotar nova postura frente à realidade. E essa é uma tarefa árdua, que depende primeiramente da compreensão da necessidade da mudança que se pretende sedimentar. Como é o caso do radar, por exemplo”. A primeira etapa da ação educativa de trânsito na Escola Florêncio, foi realizada com os alunos e professores, durante todo o mês de março. A segunda etapa foi esta realizada junto aos pais. A reduzida participação nesta etapa revelou o desinteresse dos pais pela segurança de seus filhos. A partir de agora os Agentes de Trânsito é que continuarão o trabalho, através de Operações de Fiscalização. Além disso, a coordenação da escola pretende dar continuidade à Educação de Trânsito, incluindo o tema nas atividades pedagógicas. “Infelizmente existem ainda muitos pais que negligenciam na educação de seus filhos, acreditando que a educação é tarefa da escola. Eles não conseguiram ainda compreender que a escola é local para construção e transmissão do conhecimento (ciência) e não para ensinar seus filhos a ser gente de verdade. A educação primeira deve acontecer no meio familiar. Atitudes como o Respeito; a Solidariedade; a Tolerância; o cuidado com a vida, com o corpo e com o meio ambiente; entre outros, são valores necessários para a convivência em sociedade e devem ser aprendidos em casa. Além disso, são requisitos fundamentais para a formação do cidadão, e dão condições para que ele possa exercer com dignidade, autonomia e responsabilidade os seus direitos e deveres. O não aprendizado desses valores influencia no comportamento dos usuários das vias públicas e contribui para o aumento da violência”, destaca Suzana. Portanto, “a Escola não é a única responsável pela redução da violência no trânsito. Os, pais têm papel essencial, principalmente porque são exemplos de condutas que serão repetidas por seus filhos mais tarde”, afirma Luciane de Moura, professora da Escolinha de Trânsito.  
Data publicação: 01.04.2011
O Brasil possui um dos trânsitos mais violentos do mundo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o trânsito mata quatro vezes mais do que a guerra. Técnicos e estudiosos no assunto garantem que o excesso de velocidade está diretamente ligado a causa da maioria dos acidentes, seguido da desobediência à sinalização, distância insuficiente em relação ao veículo dianteiro e dirigir sob efeito de álcool/drogas, ou seja, causas perfeitamente evitáveis. O dia a dia no trânsito retrata tudo aquilo que o indivíduo sente e não consegue canalizar de forma positiva. Entre esses sentimentos está a pressão da rotina, o individualismo, o egoísmo, a falta de consideração e respeito pelo outro, juntamente com o desequilíbrio emocional. Outro dia eu estava indo para o trabalho, com meu veículo na pista da esquerda, numa via de três pistas, quando fui surpreendida pelo veículo que trafegava pela pista do meio, que cortou a minha frente, efetuando conversão à esquerda, sem ligar o pisca, não colidindo com meu veículo por questão de milímetros, pois ao perceber a intenção do condutor, me adiantei e converti à esquerda rapidamente. Felizmente, além do susto e de uma unha quebrada ao virar o volante às pressas, não houve colisão, nem feridos, até então. O condutor do outro veículo, após parar, começou a berrar e gesticular, totalmente desequilibrado, me chamando de louca... fiquei pasma e sem reação, tamanha a minha indignação, pois além de ser ele o causador da quase colisão, deixando de deslocar seu veículo com antecedência para a faixa da esquerda, já que tinha a intenção de manobrar para esse lado, foi totalmente mal educado, mostrando total falta de equilíbrio e paciência, tão necessários a um motorista, profissional ou não. Temos assistido nos últimos dias uma grande discussão acerca dos radares e da corrupção de alguns indivíduos ligados a órgãos públicos e empresas do ramo, que se utilizam desse sistema em proveito próprio, fraudando licitações e realizando outras ações de improbidade. A fiscalização da sociedade aos órgãos públicos é necessária e louvável, porém, não podemos deixar que algumas pessoas tentem desacreditar a eficácia do sistema de fiscalização eletrônica nas vias, distorcendo as informações, levando-nos a crer que radar é sinônimo de corrupção, quando, na verdade, é sinônimo de salvação de vidas... Temos que ter em mente que o problema não é o radar, o problema é a infração. Não temos “indústria de multas”, mas excesso de matéria-prima, visto que condutores imprudentes estão à solta nas ruas, cometendo todo tipo de arbitrariedade no trânsito, colocando em risco sua própria vida e a de terceiros. Em Cascavel já estamos vendo o resultado da instalação desses equipamentos. É inquestionável a necessidade da existência desses dispositivos, frente aos resultados positivos constatados. A fiscalização eletrônica beneficia o bom motorista e contribui sobremaneira para aumentar as condições de segurança na via, pois visa coibir abusos no tocante a excesso de velocidade, desrespeito a sinalização e respeito ao pedestre, tendo como objetivo final a redução e a gravidade de acidentes de trânsito, o que resulta na sobra de dinheiro no SUS (Sistema Único de Saúde) e leito de hospital na Ortopedia e na Traumatologia, já que as estimativas mostram que a nossa nação gasta mais de R$ 30 bilhões por ano com acidentes que matam em média, por dia, 150 pessoas. Segundo o antropólogo Roberto Da Matta, o brasileiro vê o bom motorista como “babaca”. Isso é reflexo da falta de civilidade e de uma cultura voltada para a prática de bons hábitos de cidadania. Quando você vai para o trânsito, se depara com uma situação desagradável: obedecer, o que para muitos é sinal de inferioridade. Quem obedece, quem segue a lei, no Brasil, é babaca. Em síntese, um trânsito que funciona precisa de engenharia de tráfego, fiscalização e educação da população caminhando juntas. O respeito ao limite de velocidade, à sinalização e a Lei em geral, representa para o condutor, o melhor antídoto contra autuações e situações de perigo na via. É importante sempre praticar a tolerância e a solidariedade, agindo com paciência e respeito ao próximo para termos um trânsito mais humano e seguro para todos. Arlete Rogoginski Formada em História pela UNIPAR; Pós-graduada em MBA pelo CESUMAR; Acadêmica de Tecnologia em Gestão Pública pelo IFPR.
Data publicação: 01.04.2011
Na manhã de hoje (30/03), os Agentes de Trânsito desencadearam mais duas “Operação Caminhão” na Rua Jorge Lacerda (nº 2807) e na Av. Tancredo Neves (logo após o viaduto) simultaneamente. Eles permaneceram nos locais das 05h30 às 07h30. Ao todo foram realizadas 38 abordagens, e destas aplicadas 09 autuações. Os locais foram alvos de denúncias e reclamações por parte de moradores e cidadãos cascavelenses. Da mesma forma, como em outra operações caminhão, o objetivo principal é coibir o trânsito irregular de veículos acima de 4 ton, por ruas que passam na região central da cidade, diminuindo assim problemas na malha viária. O trânsito de veículos é proibido acima de quatro toneladas, sendo autorizado acima deste peso apenas os veículos que fazem carga ou descarga de mercadorias. De acordo com o supervisor de trânsito da Cettrans, José Valdecir Martins, as operações têm surtido efeito, pois o número de caminhões trafegando por estas vias reduziu consideralvelmente . Do total de autuações feitas: - 5 (cinco) foram enquadrados no artigo 187, inciso I, do CTB) - 2 (duas) no artigo 230, inciso X, do CTB - 1 (uma) no artigo 162, inciso I, do CTB - 1 (uma) no artigo 162, inciso V, do CTB Operação Radar: Logo após finalizarem as atividades da primeira operação da manhã os Agentes se posicionaram próximo ao Hospital Universitário, na Av. Tancredo Neves, para iniciar as ativdades da "Operação Radar", que está agendada em diversos pontos da cidade no dia de hoje, visando coibir o excesso de velocidade.   CTB: Art. 187. Transitar em locais e horários não permitidos pela regulamentação estabelecida pela autoridade competente: I - para todos os tipos de veículos: Infração - média. Art. 230. Conduzir o veículo: X - com equipamento obrigatório em desacordo com o estabelecido pelo CONTRAN: Infração - grave. Art. 162. Dirigir veículo: I - sem possuir Carteira Nacional de Habilitação ou Permissão para Dirigir: Infração - gravíssima. Art. 162. Dirigir veículo: V - com validade da Carteira Nacional de Habilitação vencida há mais de trinta dias: Infração - gravíssima.
Data publicação: 30.03.2011