Notícias

Na tarde do dia 28 de abril, os funcionários da Cettrans executaram o Plano de Abandono de Emergência (PAE), elaborado e coordenado pela equipe da Brigada de Emergência do Terminal Rodoviário de Cascavel. Este plano define todas as ações adotadas e tempos esperados em cada uma das etapas da desocupação, incluindo o abandono, retorno, rotas de fuga, pontos de encontro, atenção às pessoas com mobilidade reduzida, ações de primeiros socorros, acionamento do apoio externo, entre outros. Para a execução do exercício, às 15 horas, foi acionado o alarme de incêndio do prédio de uma das salas da Cettrans, dando início à prática. Membros da brigada de emergência começaram a ação de evacuação do prédio, até o ponto de encontro predeterminado. Após o simulado, todos voltaram aos seus postos de trabalho e a equipe da Brigada de Emergência reuniu-se para discutir os pontos fracos e fortes do simulado e o que precisa ser melhorado. De acordo com o Coordenador Geral da Brigada de Emergência do Terminal Rodoviário de Cascavel, Claudinei Andrade, o Simulado de Abandono de Emergência é um exercício prático e estabelece procedimentos a serem adotados em situações de emergência que possam ocorrer na administração da Cettrans. Estes definem ações imediatas e eficazes visando a preservação dos ocupantes do prédio, minimização de perdas patrimoniais e outras perdas que possam afetar as atividades da sociedade e do Terminal Rodoviário de Cascavel. O principal objetivo do simulado é preparar os colaboradores, orientando-os de como proceder em casos de emergência em que é necessário fazer o abandono do ambiente, de forma rápida e segura, para manter sua segurança e integridade física. A equipe da Brigada de Emergência do Terminal Rodoviário de Cascavel é composta por 28 empregados da Cettrans, a qual recebeu treinamento específico de combate à incêndio, primeiros socorros e abandono de edificações, conforme exigência do Corpo de Bombeiros. Nota: A norma ABNT - NBR 15219, de maio de 2005 (regulamento que define os parâmetros mínimos para os planos de emergência contra incêndio), determina a necessidade de serem realizados exercícios simulados de desocupação parcial (no período máximo de seis meses) e simulados completos (período máximo de doze meses) para plantas de risco baixo ou médios. Para plantas de risco alto os simulados parciais deverão acontecer no período máximo de 03 (três) meses e simulados completos o período máximo deverá ser de 06 (seis) meses.
Data publicação: 28.04.2017
A CETTRANS e a Polícia Militar realizaram diversas blitz durante o trimestre deste ano. No total, foram emitidas 159 autuações pelo Artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro – CTB (dirigir veículo sob influência de álcool) e destes, em 100 condutores, o teste do etilômetro apontou acima de 0,33 miligramas de álcool por litro de ar expelido dos pulmões. Nestes casos os condutores foram presos por crime de trânsito, cumprindo o Artigo 306 do CTB, e encaminhados a 15ª Sub Divisão Policial para as medidas cabíveis, onde os mesmos responderão criminalmente por terem ingerido bebida alcoólica e conduzido veículo automotor na sequência.  A penalidade para quem for flagrado conduzindo veículo automotor em via pública sob efeito de álcool, de acordo com o Artigo 165 do CTB, é de multa de R$ 2.934,70 e suspensão do direito de dirigir por doze meses. Se o teste do etilômetro apontar acima de 0,33 miligramas de álcool por litro de ar expelido dos pulmões, além da multa e da suspensão, o condutor é preso e responderá criminalmente por isso. A CETTRANS e a Polícia Militar, juntamente com outros órgãos fiscalizadores como a Polícia Rodoviária Federal e Polícia Rodoviária Estadual, tem intensificado os trabalhos de fiscalização, com a utilização do etilômetro, visando combater o hábito de alguns condutores que ingerem bebida alcoólica e dirigem em seguida. A prática de ingestão de álcool e direção tem sido uma das principais causas de acidentes de trânsito, resultando em vítimas graves e óbitos. Isso reforça a necessidade da existência de uma fiscalização eficiente para que esta ação irresponsável que alguns condutores praticam, seja combatida de forma rigorosa.  
Data publicação: 19.04.2017